Pular para o conteúdo principal

Trovadorismo (com exercícios)

Atrás da Porta
Quando olhaste bem nos olhos meus
E o teu olhar era de adeus
Juro que não acreditei, eu te estranhei
Me debrucei sobre teu corpo e duvidei
E me arrastei e te arranhei
E me agarrei nos teus cabelos
Nos teu peito, teu pijama
Nos teus pés ao pé da cama
Sem carinho, sem coberta
No tapete atrás da porta
Reclamei baixinho
Dei pra maldizer o nosso lar
Pra sujar teu nome, te humilhar
E me vingar a qualquer preço
Te adorando pelo avesso
Pra mostrar que ainda sou tua

a)      Quais os sentimentos que podemos ver nessa música?
b)      A pessoa, que “fala” na música, é um homem ou uma mulher? Justifique.
c)       Você sabe quem escreveu essa canção? Caso saiba, escreva o nome de quem a compôs.
O trovadorismo foi a primeira manifestação literária de língua portuguesa, tal manifestação foi marcada pelas composições líricas destinadas ao canto. O trovadorismo surgiu no século XII, na época medieval, na idade feudal, por isso, termos como “vassalagem amorosa” são usados na poesia, uma vez que, o amor distante, representado em algumas poesias líricas do trovadorismo, reflete a relação entre o vassalo e o senhor do feudo.
Na época do trovadorismo, Portugal começava a se reconhecer como nação, por isso grande parte das composições estão em galego-português (uma língua “mesclada”, entre o espanhol e o português). A canção da Ribeirinha foi o marco que iniciou o trovadorismo lusitano.
Nessa fase, a poesia era escrita para ser cantada,  acompanhada da lira, alaúde, harpa e outros instrumentos da época. As cantigas eram reunidas em livros chamados cancioneiros.
As cantigas trovadorescas, quanto ao tema, são divididas em dois tipos: Satíricas (cantigas de mal dizer e de escárnio) e Líricas (Cantigas de amor e de amigo).
Lírica Amor Poema cujo eu – lírico é masculino e se dirige a uma mulher, geralmente da nobreza e casada, cujo o nome não é revelado. O homem sofre interiormente (coita de amor) e toma a posição de “servo” da mulher amada (Vassalagem amorosa). Eu-lírico – masculino
Amigo Neste tipo de texto, quem fala é a mulher e não o homem. O trovador (homem) compõe a cantiga, mas o ponto de vista é feminino, mostrando o outro lado do relacionamento amoroso – o sofrimento da mulher à espera do namorado (chamado “amigo”), a dor do amor não correspondido, as saudades, os ciúmes, as confissões da mulher a suas amigas, etc. Os elementos da natureza estão sempre presentes, além de pessoas do ambiente familiar, evidenciando o caráter popular da cantiga de amigo. Eu-lírico – feminino
Satírica Mal dizer As de maldizer, utilizam uma linguagem mais vulgar, referindo-se diretamente a suas personagens, com agressividade e com duras palavras, que querem dizer mal e não haverá outro modo de interpretar.
Escárnio As cantigas de escárnio são críticas, utilizando de sarcasmo e ironia, feitas de modo indireto, algumas usam palavras de duplo sentido, para que, não entenda-se o sentido real.
As cantigas trovadorescas também podem ser divididas em cantigas de refrão (caracterizadas por um estribilho repetido no final de cada estrofe) e cantigas de maestria (uma cantiga mais trabalhada, sem repetições).
Veja alguns exemplos de cantigas:
Cantiga de amor “Senhor fermosa, pois me non queredes
Creer a coita em que me tem amor,
Por meu mal é que tan bem parecedes
Por meu mal vos filhei por senhor
E por meu mal tan muito bem oi
dizer de vós, por meu mal vos vi
pois meu mal é quanto bem vós havedes.”
Cantiga de amigo “Ai flores, ai flores do verde pino,
se sabedes novas do meu amigo!
ai Deus, e u é?
Ai flores, ai flores do verde ramo,
se sabedes novas do meu amado!
ai Deus, e u é?
Se sabedes novas do meu amigo,
aquel que mentiu do que pôs comigo!
ai Deus, e u é?
Se sabedes novas do meu amado,
aquel que mentiu do que mi há jurado!
ai Deus, e u é?”
Cantiga de escárnio Ai, dona fea, foste-vos queixar
que vos nunca louv[o] em meu cantar;
mais ora quero fazer um cantar
em que vos loarei toda via;
e vedes como vos quero loar:
dona fea, velha e sandia!…
Comparativo entre as Cantigas
Cantiga de amor Origem provençal;
Eu-lírico masculino;
Objeto desejado: Dama, “a senhor”;
Ambiente palaciano (Aristocrático);
Homem se presta a vassalagem amorosa.
Cantiga de amigo Origem galego-portuguesa;
Eu-lírico feminino;
Objeto desejado: O amigo;
Ambiente campestre;
Mulher sofre pelo amigo que está ausente.
  1. Na canção “Atrás da porta” Chico Buarque nos remete as cantigas trovadorescas. Que tipo específica de cantiga ele nos remete? Justifique sua resposta.

“Ai, flores do verde ramo,
Se sabedes novas do meu amado?
Ai, Deus, e u é?”
Escreva as palavras que completam os espaços:
Os versos acima pertencem a uma ____________________________, característica do ________________________ português, estética literária dos séculos XII, XIII e XIV.
  1. Nas cantigas de amor,
a)       o trovador expressa um amor à mulher amada, encarando-a como um objeto acessível a seus anseios.
b)       o trovador velada ou abertamente ironiza personagens da época.
c)       o “eu-lírico” é feminino, expressando a saudade da ausência do amado.
d)       o poeta pratica a vassalagem amorosa, pois, em postura platônica,expressa seu amor à mulher amada.
e)       existe a expressão de um sentimento feminino, apesar de serem escritas por homens.
  1. Marque V para verdadeiro e F para falso.
(    ) As cantigas de mal dizer e de escárnio pertencem a lírica trovadoresca.
(    ) As cantigas de amigo possuem um ambiente palaciano e o eu-liríco é feminino, apesar de serem escritas por homem.
(    ) As cantigas de amor possuem um ambiente palaciano e suas características principais são a vassalagem amorosa e a coita de amor.
(    ) A canção da Ribeirinha iniciou o trovadorismo português.
(    ) As cantigas de amigo, em geral, possuem um eu-lírico feminino, apesar de serem escritas por homens. A temática principal, quase sempre, é o sofrimento da mulher pelo amado que partiu.
  1. Assinale a alternativa incorreta a respeito do Trovadorismo em Portugal.
    a) Durante o Trovadorismo, ocorreu a separação entre poesia e a música.
    b) Muitas cantigas trovadorescas foram reunidas em livros ou coletâneas que receberam o nome de cancioneiros.
    c) Nas cantigas de amor, há o reflexo do relacionamento entre o senhor e vassalo na sociedade feudal: distância e extrema submissão.
    d) Nas cantigas de amigo, o trovador escreve o poema do ponto de vista feminino.
    e) A influência dos trovadores provençais é nítida nas cantigas de amor galego-portuguesas.
  2. “Coube ao século XIX a descoberta surpreendente da nossa primeira época lírica. Em 1904, com a edição crítica e comentada do Cancioneiro da Ajuda, por Carolina Michaëlis de Vasconcelos, tivemos a primeira grande visão de conjunto do valiosíssimo espólio descoberto” (Costa Pimpão)
    a) Qual é essa primeira época lírica portuguesa?
    b) Que tipos de composições poéticas se cultivavam nessa época?
    1. Assinale a alternativa incorreta
a) Na cantiga de amigo, o “eu-lírico” feminino lamenta a ausência do amigo distante;
b) Na cantiga de escárnio, a sátira é feita indiretamente e usam-se a ironia e as ambigüidades;
c) Na cantiga de maldizer, o erotismo pode estar presente;
d) Na cantiga de amor, o apelo erótico é purificado e ocorre a idealização do amor;
e) Na cantiga de amigo, usa-se o refrão, mas não existe paralelismo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PLANO DE AULA: TEMA - VARIAÇÕES LINGUÍSTICAS

PLANO DE AULA: TEMA - VARIAÇÕES LINGUÍSTICAS Plano de aula Língua Portuguesa


Tema: Variações Linguísticas



Tempo: 12 aulas.




OBEJETIVOS:
- Refletir sobre as variações da língua no decorrer do tempo. - Valorizar as diferenças culturais e linguísticas. - Usar a linguagem com autonomia e sem preconceitos



Materiais utilizados e disponíveis neste planejamento.


Textos variados; Filme – Tapete Vermelho Exercícios variados Avaliação da aprendizagem

1ª Aula: (momento descontração)
Leitura dos seguintes textos. I - Declaração Mineira de Amor aos Amigos...
Declaração Mineira de Amor aos Amigos.... Amo ocê ! . Ocê é o colírio du meu ôiu.
É o chicrete garrado na minha carça dins.
É a mairionese du meu pão.
É o cisco nu meu ôiu (o ôtro oiu - tenho dois).
O rechei du meu biscoito.
A masstumate du meu macarrão.

PLANO DE AULA DO 6º AO 9º ANO

CADERNO DE: PLANOS DE AULA



01
Tema: DESENVOLVIMENTO DO GOSTO PELA LEITURA
II OBJETIVOS
Identificar o ritmo, a sonoridade, a musicalidade e expressividade presentes no texto. -desenvolver as habilidades de ler, ouvir e interpretar o texto

III – Síntese dos procedimentos

-Cantar com os professores

-Interpretação escrita do texto.

Leitura ora e do texto (música: E vamos à luta, de Gonzaguinha) pelos professores e pelos os alunos.
-Ouvir com atenção a letra cantada.
-Cantar com os professores.
-Interpretação oral do texto.

IV – Recursos
-Professores
-Alunos
-Aparelho de som / Piloto / Som

02

Tema: PRODUÇÃO DE TEXTO (Quem Conta um Conto )

II - Objetivos
-Criar oportunidades para que os alunos descubram a expressão escrita como forma de comunicação e de interlocução.
-Despertar o interesse dos alunos para usar a escrita como uma maneira de ter uma visão de mundo mais abrangente e dinamizada.

III – Síntese dos procedimentos
-Discutir as expectativas e previs…