Violência nas Escolas Públicas











Apoiamos a luta dos professores contra a deriva totalitária do Governo

   



.



 
Violência nas Escolas Públicas 
A subida do Partido Socialista ao poder, em 2005 é marcada por um aumento da violência nas escolas públicas em Portugal. Durante o ano lectivo de 2006/2007 foram registadas 185 casos de agressões a professores. O número real era muito superior, dado que muitos professores não apresentam queixa por medo de represálias ou por vergonha. No ano lectivo de 2007/2008  a onda de violência atingiu dimensões sem precedentes. O Procurador Geral da República (PGR), incomodado com a situação em 2008, afirmou publicamente que os agressores não estavam a ser punidos. 
O Governo do Partido Socialista ignorou todos os protestos, prosseguindo a sua infame política de destruição da escola pública em Portugal. Os resultados desta política estão à vista !  
 
 
"Dá-me o telemóvel já !"
O vídeo colocado na Internet e que chocou o país ilustra o que se passa nas escolas em Portugal. A cena filmada por um aluno passou-se no dia 12 de Março de 2008 na Escola Secundária Carolina Michaelis na cidade do Porto. Uma aluna de 15 anos recusa-se a entregar um telemóvel e agride verbal e fisicamente uma professora. Os restantes alunos assistem divertidos e impedem que um deles acalme a colega 
 
A aluna em questão há muito que manifestava um comportamento censurável na escola, mas nunca foi punida. Na mesma escola, em Dezembro de 2007, uma aluna que não concordou com uma nota negativa que lhe foi atribuída na disciplina de português resolveu agredir a professora. A mãe da aluna chamada à escola ameaça bater no presidente do Conselho Executivo, sendo necessário para a acalmar a intervenção da Polícia. O Conselho de Turma pediu o afastamento da aluna, mas os serviços do Ministério da Educação, protelam uma tomada de posição sobre o assunto, e só após longas insistências dos professores decidem finalmente transferir a perturbada aluna para outra escola pública. O exemplo de impunidade instalou-se de imediato na escola. No princípio de 2008 um aluno é esfaqueado à entrada da escola.
 
 
Armas ...a brincar !Durante as avaliações do 1º.Período a 18 de Dezembro de 2008, um grupo de alunos do 11º. Ano da Escola EB 2,3/S do Cerco, na cidade do Porto, ameaçou com uma pistola de plástico uma professora de Psicologia, para que lhes desse notas positivas. O video feito num telemóvel foi de imediato posto na Internet, aparecendo pouco depois na comunicação social.
A Presidente do Conselho Executivo, assim como a Directora da DREN apressaram-se a desvalorizar o sucedido, afirmando que se tratou de uma brincadeira. A verdade é que esta Escola continua a ter um longo historial de violência contra professores.
Em Março de 2008, um aluno agrediu uma professora. Em Setembro, na EB 1, também no Cerco, uma professora foi espancada pela mãe de uma aluna. Depois destes actos, os encarregados de educação foram proibidos de entrar na Escola. O Bairro dos Cerco é um dos supermercados de droga da cidade do Porto.
No ano lectivo de 2007/2008 a Polícia registou em Portugal outros seis casos de ameaças com armas nas escolas. Em Abril de 2008, o PGR mostrou-se preocupado com o facto de crianças de seis anos levarem armas de fogo para as escolas.
Carlos Fontes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PLANO DE AULA: TEMA - VARIAÇÕES LINGUÍSTICAS

PLANO DE AULA DO 6º AO 9º ANO